segunda-feira, 28 de março de 2011

Minha Estrela




Era uma noite qualquer, de mês qualquer, mas não de uma vida qualquer. Era uma sábia presença de um espírito diferenciado pela própria atitude de ser. Ela estava lá. Sentada diante de meus olhos, como já esteve várias vezes e fez coisas que já fez incontáveis vezes e tudo era como sempre foi.

Hora calada, hora falando, as vezes esbravejando com um certo rancor em sua voz, porém não no seu coração. Seus brados de raiva não são pelo ódio, são brados de amor incompreendido que poucas pessoas podem vê-los, mas isso não quer dizer que não está ali. As vezes ela para o olhar como se olhasse para nada. Oras, que tolice pensar que ela olha para nada, ela apenas volta seu olhar para dentro e neste momento conversa com si mesmo. Isso acontece porque seu silencio é observador e deixa escapar poucas nuances de tudo lhe acontece em volta, não escapam olhares, expressões, palavras nas entrelinhas, tudo ela percebe. Apenas as pessoas vazias olham para nada, porque quando olham para dentro, nada é o que enxergam. Definitivamente não é o seu caso.

Entre olhares e percepções eu vejo alguém procurando seu caminho, as vezes confuso ou lúcido. Tanto faz. Uma noite de sorrisos e gargalhadas pra esquecer o que é não pra ser lembrado, uma baú sem chave com o cadeado enferrujado. O álcool traz certo conforto, liberta momentaneamente o que está reprimido e a ilusão do que não é. Mas tudo por um pequeno momento.

Eu conheço seu ser, eu sei quem você é e sei exatamente onde pode chegar. Não julgo, não condeno. Apenas amo.



Zaupa Junior

2 comentários:

  1. pooooooooooorra, o melhor que você já fez sem duvida tetê, me emocionei de verdade, quero saber depois da sua estrela!

    lindo lindo lindo LIIIINDO um zilhão de vezes lindo demais!

    você usou as palavras de uma forma incrivel!
    mais uma vez, lindo demais!

    ResponderExcluir
  2. SOU EU A ESTREEELA *-*

    te amo titi!

    ResponderExcluir